Fatos Fatos famosos Fatos recentes

Terceira tentativa de cessar-fogo entre Armênia e Azerbaijão fracassa – 26/10/2020 – Mundo

A terceira tentativa de perfazer com os combates entre as tropas azerbaijanas e as forças separatistas armênias em Nagorno-Karabakh fracassou nesta segunda-feira (26), quando as duas partes trocaram acusações de “violação flagrante” do cessar-fogo negociado em Washington.

A “trégua humanitária” nos combates, iniciados no território montanhoso do Cáucaso em 27 de setembro, deveria encetar às 8h locais (1h, no horário de Brasília).

Nesta segunda-feira, porém, o Ministério das Relações Exteriores do Azerbaijão acusou as forças armênias de terem bombardeado a cidade de Terter e as localidades próximas, assim porquê posições do Tropa de Baku, ao mesmo tempo em que afirmou respeitar o cessar-fogo de seu lado.

“Esta manhã, outro cessar-fogo entrou em vigor, e a Armênia o violou novamente, abrindo lume sobre a região de Terter”, disse o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev.

Em oração à país, Aliyev afirmou ter ordenado ao Tropa que demonstre “moderação” e voltou a exigir a retirada das tropas armênias.

O primeiro-ministro da Armênia, Nikol Pachinyan, disse no Facebook que seu país “continua respeitando estritamente o cessar-fogo”.

O Ministério da Resguardo de Nagorno-Karabakh denunciou disparos de artilharia do lado inimigo contra suas posições em diversos pontos.

Também afirmou que as forças sob seu controle “respeitam estritamente os acordos concluídos e que as acusações do inimigo não têm zero a ver com a verdade”.

As duas partes denunciaram uma “violação flagrante” da trégua por segmento do inimigo.

O conciliação foi negociado durante o termo de semana em Washington, em plena campanha do presidente americano, Donald Trump, para sua reeleição. Trump prometeu solucionar o conflito, afirmando que seria “um pouco fácil”.

Duas tréguas já fracassaram antes: a primeira, anunciada em Moscou, em 10 de outubro; e a segunda, em Paris, no dia 17.

O porta-voz do Kremlin, Dimitri Peskov, lamentou que o conflito continue em uma “temporada aguda” e acrescentou que Moscou está preparada para “saudar qualquer medida que ajude a estagnar a guerra”.

Bloqueio diplomático

Azerbaijão e Armênia protagonizam um conflito amargo sobre Nagorno-Karabakh desde que os separatistas armênios respaldados por Ierevan assumiram o controle da superfície em uma guerra na dezena de 1990 que deixou 30 milénio mortos.

A autodeclarada independência de Nagorno-Karabakh não foi reconhecida pela comunidade global, nem mesmo pela Armênia. De conciliação com o recta internacional, o território continua sendo segmento do Azerbaijão.

Em Stepanakert, a principal cidade do território separatista, a noite foi calma. Poucos minutos antes da ingressão em vigor do cessar-fogo, no entanto, os moradores ouviram uma explosão e observaram uma poste de fumaça em uma superfície próxima. Também ouviram disparos de artilharia.

A comunidade internacional não conseguiu até agora negociar uma trégua duradoura, nem uma solução pacífica do conflito.

Na semana passada, a Armênia descartou qualquer solução diplomática, e o Azerbaijão afirmou que qualquer negociação tinha porquê quesito prévia a retirada das tropas armênias de Nagorno-Karabakh.

País rico em combustíveis, o Azerbaijão aumentou o arsenal militar nos últimos anos com a compra de armas de Rússia, Turquia e Israel.

O governo turco é réu de mobilizar combatentes pró-Turquia da Síria no conflito.

O presidente russo, Vladimir Putin, do qual país atua tradicionalmente porquê perito na região, declarou na quinta-feira que o balanço dos combates desde o termo de setembro se aproximava de 5.000 mortos.

Nas últimas semanas, as forças do Azerbaijão conquistaram territórios que estavam fora de seu controle desde os anos 1990, posteriormente o termo da União Soviética, mas nenhum progresso determinante foi registrado.

Manadeira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *