Motor

Se o sege maltratar ou der problema na quarentena, o seguro vai resguardar?

Levantamos dúvidas sobre uma vez que estão funcionando os serviços de seguro automotivo durante o isolamento social à Federação Pátrio de Seguros

 (Renato Bacci/Quatro Rodas)

A paralisação de setores da economia devido à pandemia do coronavírus tem provocado dúvidas relacionadas ao funcionamento de serviços essenciais, uma vez que a assistência do seguro automotivo, por exemplo.

Muita gente tem receio de permanecer na mão em caso de emergência por encontrar que as seguradoras reduziram as suas operações durante a quarentena.

Por isso, QUATRO RODAS consultou Walter Pereira, presidente da Percentagem de Veículo da FenSeg (Federação Pátrio de Seguros Gerais), para sanar dúvidas sobre a cobertura veicular.

O estado de calamidade pública afeta um pouco em relação aos contratos de seguro com os clientes?

De conformidade com Pereira, não há mudanças nos contratos, pois “não há qualquer efeito negativo com relação a coberturas e serviços”.

Os serviços de socorro mecânico, reboque e atendimento a sinistros estão funcionando normalmente? E em relação a carros reservas, já que locadoras fecharam durante a quarentena em alguns estados?

“Os serviços emergenciais e o atendimento a sinistros seguem funcionando normalmente. As locadoras de veículos (que fornecem os carros reservas), ao menos no estado de São Paulo, tiveram, no final de março, autorização para funcionar.”

Haverá alguma mudança em procedimentos de contratação e renovação de seguros? Uma vez que fica o cliente que tem o seguro por vencer nos próximos 60 dias? E em relação aos bônus para renovação?

“As seguradoras têm adotado neste período ações de flexibilização para dar conforto aos clientes, bônus, prazos e meios de pagamento.”

Há alguma recomendação específica para donos de carros segurados durante esse período?

Walter Pereira recomenda, “se verosímil, vincular o sege diariamente visando a manter a secção elétrica e o funcionamento do motor para evitar a perda de trouxa em bateria. Se houver problema, os serviços emergenciais das seguradoras podem ser acionados”.

Haverá desconto para quem mantiver o sege na garagem nesse período? Por fim, quem resolver deixar o sege parado por muito tempo pode, de repente, optar pelo cancelamento do serviço.

Pereira explica que “veículos parados em garagem podem estar menos expostos aos riscos de colisão, mas ainda existem outros riscos uma vez que o de incêndio, latrocínio ou roubo. Cancelar o serviço pode não atender à urgência do consumidor. Importante mencionar que, na maioria dos seguros de automóveis, os contratos foram firmados por períodos anuais e sem intermitência na cobertura”.

Uma vez que os seguros tratam casos de alguém que tenha deixado o sege parado durante a quarentena e isso venha a gerar problemas no sege?

“Uma vez que já mencionado, os serviços emergenciais seguirão ativos para ser acionados pelo cliente, se necessário.”

Uma vez que ficam serviços tipo o de reparações domésticas, que alguns seguros oferecem uma vez que “bônus” aos clientes?

“Estão mantidos, mas a tendência é de baixa utilização por conta do isolamento social e das medidas de restrição de circulação de pessoas.”

Não pode ir à mesa comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da edição de abril da Quatro Rodas? Clique cá e tenha o chegada do dedo.

Manadeira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *